Enquanto isso no mundo real…

O coração é um órgão muito bonito, na minha opinião. Não acho rins, fígado ou pulmão bonitos, mas o coração sim. Com suas frágeis paredes, músculo e seu movimento. Talvez ache bonito por causa da sua definição: depois de 5 minutos com o coração parado um homem pode ter que viver com sequelas irreparáveis como perda da fala e movimentos. Já 8 minutos com o coração parado as chances de vida são mínimas.

Apesar de eu ter esta admiração pelo órgão, poucas pessoas se familiarizam com essa imagem real. É muito mais agradável falar de coração com aquele formato fofo com orelhinhas redondinhas. Mas ser mais bonito que o órgão em si não o torna real.

A realidade incomoda porque a sociedade busca a cada dia o seu conforto. Eu até gosto de conforto. Ar condicionado é a invenção da minha vida, e é fruto dessa necessidade de camuflar a realidade em busca do prazer. Mas nessa mesma busca nós também erramos. Pintamos por cima das paredes com umidade, colocamos tapumes nas principais rodovias pra esconder a favela, parcelamos em 18X compras que não temos certeza que podemos pagar. Aumentamos o som da TV pra não ouvir a esposa reclamar. E eu não sou ninguém pra julgar. Poucas pessoas (e certamente não eu) saem por aí com suas roupas de super-herói dando tapas na cara da realidade. Sem medo de admitir e sem medo de todo o trabalho que dá, reconstruir a realidade no lugar de escondê-la.

foto 1

A busca pelo conforto pode ser, por outras vezes, fantasiosa. E sem a menor necessidade. Assim como o coração-órgão que é absurdamente incrível mesmo do seu jeito feio, também é a concha que contém uma ostra, que produz pérolas preciosas valiosíssimas. Onde está o valor do ser, na sua representação ou no que ele representa? Tome cuidado pois o conforto pode nos cegar e enganar. Pode fazer com que a gente procure por coisas que não são nada além da fantasia, e fugir do real por não ser tão agradável aos olhos.

Talvez eu e você estejamos esperando uma fantasia e perdendo a realidade, já pensou? A realidade é que a vida não é bela, mas viver é muito, muito belo. A viagem que vai te trazer plenitude e felicidade pode não ser esta que você planeja por toda Europa, mas uma longa viagem de carro conversando com seu avô. A festa de aniversário perfeita pode não ser esta que você planeja os mínimos detalhes pra todo mundo falar o quanto foi tudo muito bom, mas aquela em que vão seus dois melhores amigos na sua casa te surpreender, de camisola, com um bolo e velas. O pedido de casamento perfeito pode não ser aquele que tem um cara de joelhos segurando uma aliança de noivado de diamantes dos seus sonhos, mas pode ser aquele que está nos olhos dele. Às vezes o jeito que ele te olha pode ser um pedido diário de casamento, o mais sincero.

A realidade pode não ser o mais bonito. Mas é real.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *